CANTADA QUE IRRITA, CANTADA QUE NÃO

By Thayanna Sena - novembro 07, 2012

Hoje eu fui trabalhar com uma roupa muito comum para quem está no meio da Moda, mas um tanto diferente para os reles mortais (valei-me!). Percebi desde cedo que angariava alguns olhares pela rua, de aprovação e de reprovação. Um deles veio com um comentário e, embora cantadas na rua costumem ser irritantes, esta (que estava mais para elogio) me tirou um sorriso fácil.

Passou por mim um rapaz negro, robusto, com feições comuns e soltou um: “gostei do look, hein?!”. Convite à reflexão: quando foi que os homens em geral começaram a usar a palavra “look”? Instantaneamente eu sorri e me mantive assim, por que este é o tipo de coisa em que a gente percebe a sinceridade e a inocência_ coisas tão raras de se ver.

Um dos meus hobbies favoritos é me surpreender com as pessoas. Em meio à violência, atitudes mesquinhas e futilidades, eu me sinto feliz com a humanidade quando me dou conta desses gestos simples. Da senhora caminhando calmamente com o cachorro em meio ao trânsito. Da atendente da mercearia que me vê e sorri já sabendo que eu vou pedir um Ouro Branco. Da mulher que todo dia me pede um cigarro mesmo eu já tendo dito várias vezes que não fumo. E ela sempre retruca: “que coisa boa!”.

Eu fiquei mais confiante depois de ter meu look aprovado por um reles mortal. Já que blogger virou consultor de estilo e se achou no direito-Gloria-Kalil de dizer o que é certo e errado, eu vou me apoiar na palavra do rapaz da rua e manter a produção. Ela pode até não ter ficado boa, mas sempre virá com acréscimo de sorriso por conta do comentário.

  • Share:

You Might Also Like

2 comentários

  1. Fiquei curiosa para saber o que estava vestindo :}

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conto! Era uma calça de couro beringela, um tom bem vivo. O resto era até bem comum, mas a calça chama basteante atenção. Rs

      Excluir