Budapest stories




I've been thinking about write in english for a long time, even knowing I'm not really good on it. In the past years I had the pleasure of meet people from all over the world, from Japan to Russia and I want them to understand what I write here. Meanwhile, many of my brazilian friends doesn't speak english and that's why I'm keeping the portuguese version too.

My days in Budapest in january were so amazing, inspiring, funny... it's an alive and young city surrounded by the history of old times. I've visited the city center with Angela (I wrote about her here, only in portuguese) and, as it was my first experience in Europe, I was fascinated by the buildings, churches, streets made of rocks... If you never came to Brazil, you should know: architecture is completely different here.

Como vocês já perceberam, eu comecei o post em inglês, o que é um desejo antigo já que eu tenho muitos amigos ao redor do mundo. Sempre fui apaixonada por idiomas e descobri que isso ia além da língua materna quando comecei a estudar italiano e francês (além do inglês e espanhol que eu já "çei") e me apaixonei. O próximo vai ser o holandês. O húngaro eu vou pular. haha
Mas voltando a Budapest, caminhei por lá com a Angela no primeiro dia sem destino definido. Por mais de uma vez nós ficamos perdidas e foi assim que eu conheci os principais pontos turísticos: por engano. Inclusive o Parlamento.



Although you may think, I love these cloudy days. This is one of my favorite things about my city, Belo Horizonte: we can compare it's weather with London's, generally grey and cold. Generally.
I'm trying to remember what I ate that day and I can't, which means I probably did not ate at all. I also don't know how Angela understood me: that was the first time I spoke english the whole day (poor Angela, haha). What cames to my mind when I think about that day is how excited I was. It was just the first one and, oh my God!, I've learned so much in a couple of hours...

A friend from Libya told me last year: "you're going to fall in love with Budapest". I've sent him a message from there saying "I'm not coming back!!!" and he answered: "I told you". I came back but only after promise: I'll visit Hungary again, as soon as possible.

Eu disse ao João que nós não íamos querer ir embora de nenhuma das cidades que visitamos e foi exatamente o que aconteceu. Só por isso eu não posso dizer que Budapest foi o meu lugar favorito, mas vai estar sempre entre as minhas recomendações. Não pense duas vezes antes de ir! O que diferencia Budapest das demais é que, apesar de ser parte da Europa, ela ainda tem uma vida muito peculiar, que mescla o cosmopolita e o tradicional. A moeda, por exemplo, não é o euro, é o hungarian forint (HUF). Nem todo mundo fala inglês. Mas em todo lugar tem um restaurante turco e quer algo mais cosmopolita no leste europeu do que eles? Só os turistas orientais, talvez. haha



O problema em ter demorado a escrever é que eu ainda tenho muitas histórias, de várias cidades, e não consigo sequer terminar as de Budapest. Mas vou: dois posts mais e vem Vienna por aqui. Até segunda!

There will be two new posts about Budapest next week and I'll try to write both in english too. See you here on monday? :)

0 comentários