4 etapas do processo criativo de um vlog

Tempo de leitura: 6 minutos

Como começar um vlog? A maioria das pessoas que quer começar a gravar vídeos é leiga como eu e não sai de casa com um roteiro das cenas e falas que precisam ser filmadas. Além disso temos o desafio de produzir conteúdo ao mesmo tempo em que aproveitamos o show, evento ou a viagem. Pensando nisso, a minha resposta é simples: filme tudo o que der. Os pés andando, o cachorro brincando, o movimento do mar. Faça alguns takes falando, peça para alguém te filmar, depois leve isso para casa e veja o que dá pra fazer. Pode ser que um dos meus professores de Jornalismo de TV se pergunte "onde foi que eu errei?" lendo isso (haha), mas com o tempo cada um desenvolve sua maneira de trabalhar e a minha tem sido esta, por enquanto.

Gravei os vídeos. E agora, o que eu faço com eles? O meu processo criativo de um vlog tem uma sequência mais ou menos definida que eu descrevo aqui em 4 etapas:

lifesthayle-filmando-em-budapest.jpg

1) ASSISTA AOS TAKES DE VÍDEO:

A primeira coisa que eu faço quando começo a editar um vlog é assistir todos os takes que eu tenho. No Jornalismo nós chamamos isso de découpage que, assim como na arte, é a reunião de vários pequenos pedaços: neste processo são selecionadas as partes que você vai usar de fato. Uma coisa que eu gosto de ter em mente durante esta seleção é definir quais são os takes mais importantes, que podem ser os mais engraçados, mais emocionantes, os que tem potencial de fazer o seu vídeo interessante e único. Uso um deles na abertura, que é quando você precisa reter a atenção de quem assiste, e o outro para encerrar o vídeo_ deixar um sorriso ou uma conclusão são ótimas maneiras de amarrar a história.

2) REVEJA FOTOS E OUTRAS MEMÓRIAS:

Com as imagens de vídeo em mente, uma boa dica é rever as fotos do evento/viagem que te ajudam a lembrar de algumas histórias legais ou mesmo frases que podem compor o vlog. Em alguns casos, quando já escrevi posts sobre o tema, eu gosto de reler cada um deles para usar o vídeo como um complemento dessa série de conteúdo. Souvenirs, bilhetes, legendas em fotos, tudo pode ajudar. A partir disso você já consegue começar a definir o tom do vídeo, se vai ter um ar cômico, emotivo, se leva uma linguagem formal ou descontraída. Essa primeira imagem do que vai ser o vlog é essencial para a próxima etapa, que é a da escolha da trilha sonora.

3) DEDIQUE TEMPO NA SELEÇÃO DAS MÚSICAS:

Para um vlog acima de 2 minutos, gosto de usar pelo menos duas músicas que podem ou não ser parecidas. Uma combinação possível é começar com uma canção divertida, algo folk com violão por exemplo, e terminar de uma maneira mais suave, com um chill-out. O rock funciona bem em vídeos urbanos e aí dá pra concluir com techno_ a ordem inversa também é um ótimo mix.

Neste vlog sobre Budapest, por exemplo, eu comecei com o rock e terminei com o boogie, que é uma variação do blues, que falava da cidade na letra: escute no minuto 4:23. Ainda usei uma terceira canção seguindo o ritmo animado das outras, porém a escolha dela foi bem específica: o final da música combinava com o ar de "deu ruim" que eu queria passar: veja a partir do minuto 2:07. Esta, na verdade, é uma dica de edição, mas que vale a pena citar: "casar" os altos e baixos da música com as transições nas imagens é uma excelente forma de criar harmonia no vlog.

Para baixar músicas com licença Creative Commons eu uso o Jamendo e a livraria de áudio do YouTube. Eu realmente dedico um tempo nessa pesquisa porque a música passa informações tão importantes quando as imagens e falas. Depois de fazer o download de algumas músicas eu começo a escutar a versão completa de todas elas e tento fazer a ligação entre as informações dos vídeos e da história que eu quero contar.

4) COMPLEMENTE COM TEXTO (áudio off): 

Quando gravamos vídeos para um vlog, dificilmente conseguimos capturar a história completa, até porque muitos momentos incríveis acontecem sem que nós estejamos filmando. Informações teóricas e turísticas sobre os locais também podem acabar faltando. Para suprir essa falta, uma das alternativas é usar o áudio. Eu ainda não descobri a melhor forma de fazer isso fora de um estúdio, mas usar o fone de ouvido do celular, que tem aquele gravador próximo da boca, é uma boa opção. Você pode escrever a história inteira e gravar nesse áudio (que se chama áudio off ou apenas off) ou misturar com trechos de vídeo contendo falas.


Com esse material já dá pra começar o processo de edição em um software como Adobe Premiere, o Sony Vegas ou mesmo algo mais simples como o Movie Maker (que é horrível para edição de áudio, mas pode salvar em alguns processos mais simples como cortes de imagens). Essa é a parte que demanda mais tempo, mas começar com estas 4 etapas do processo criativo definidas faz toda a diferença para mim, mesmo que o roteiro acabe mudando durante a edição.

 

Tem alguma outra dica sobre a edição de um vlog? Ou alguma pergunta sobre o processo criativo? Deixa aqui nos comentários.

Para terminar: 1) uma foto real oficial de como eu me comporto filmando/tirando fotos, com o tripé maroto que eu carrego na bolsa; 2) essa imagem para você salvar no Pinterest e lembrar do post sempre que precisar de dicas/inspiração para editar seus vídeos :)

lifesthayle-fotografando-editando-videos.jpg
lifesthayle-4-etapas-do-processo-criativo-de-um-vlog.jpg
Thayanna SenaComment